Home » Conteúdo » Como fazer análise gráfica (Parte2)

Como fazer análise gráfica (Parte2)

Por Bruno Garcia

Iniciamos essa série duas semanas atrás, caso não tenha visto, acesse a publicação clicando aqui e veja o básico de tendência e lateralidade. A partir de agora, vamos falar sobre suportes e resistências, alguns analistas olham pontos mais óbvios, porém vamos mostrar outras regiões interessantes que passam longe do foco dos analistas.

Suporte

São regiões onde existiu interesse comprador anterior e que provavelmente entrará mais demanda do que oferta, teoricamente quando um preço está próximo ao suporte, ele tende a ser visto como oportunidade de boas compras.

Entretanto, nem sempre as compras em regiões de suporte são bem-sucedidas, pois a perda desse suporte pode dar início a novas quedas, alertando assim um sinal vendedor. Suporte sempre estará abaixo do preço atual, é importante considerar que após a perda do suporte ele poderá se tornar resistência.

Resistência

Pode ser vista como uma zona de preços onde a procura por compras não traz ao mercado força suficiente para uma continuidade da alta dos preços, quando o preço se aproxima da resistência é bem comum entre investidores considerar a ideia de uma realização parcial de suas posições.

Desse modo, a procura por compras diminui e a oferta aumenta, trazendo assim possíveis baixas nos preços. Importante lembrar que a resistência sempre está acima do preço atual.

Agora que já foram apresentadas as definições, vamos conhecer os principais pontos de suporte e resistência utilizadas na análise gráfica:

  • Máxima, Mínima e 50%

No caso das máximas, para que esse nível de preço seja superado, é necessário um rompimento pois os players enxergam como ponto de possível interesse vendedor confluindo com ponto de interesse em realização de lucros dos comprados. Para as mínimas, o mesmo conceito é aplicado, porém na direção oposta, agora vendedores tem interesse de comprar pois o preço está numa região baixa em comparação com a movimentação anterior.

E os 50%?

É uma região de extrema importância pois é o meio do caminho, onde compradores e vendedores batalham para ter seu território de atuação defendido antes de chegar nos pontos mais extremos de máximas e mínimas.  

Observem no gráfico abaixo a região de mínima marcada pela linha verde, máxima em linha vermelha e 50% em roxo. O preço ameaçou romper a mínima, falhou por algumas vezes e seguiu fazendo novas máximas.

Após encontrar um novo ponto importante na região dos US$ 60.000, o preço corrigiu até a faixa dos 50%, onde encontrou suporte e renovou a máxima, porém encontrou resistência na mesma região de máxima anterior.

Neste exemplo ficou claro todo o movimento de preço desde a mínima até a máxima, o ideal é saber identificar movimentos impulsivos e corretivos para encontrar os pontos corretos.

  • Pontos de rompimento bem-sucedidos

Como falamos anteriormente, regiões onde há rompimentos bem-sucedidos invertem a polaridade, antes eram resistência agora passam a ser suporte e vice-versa. Mas qual é o conceito por trás?

É simples, muito operadores que antes estavam comprando em pontos de suporte, quando rompido acabam stopando suas operações e para fazer isso, devem entrar na ponta contrária dando mais força ao movimento.

No exemplo abaixo, temos uma linha vermelha horizontal delimitando onde era resistência na região dos US$ 10.000 do Bitcoin e após diversas tentativas o preço conseguiu romper.

Após a confirmação do rompimento, o preço retornou para testar a região rompida tornando-a um suporte e seguir em tendência de alta.

  • Linha de Tendência (caso o mercado esteja operando neste ciclo)

Como o próprio nome já diz, se trata de um ponto importante a ser observado quando o mercado está em tendência, para mapearmos essa região é necessário que o preço tenha realizado dois toques nesta linha, para podermos observar possíveis toques seguintes. O mercado tende a repetir o mesmo comportamento até que algo de diferente aconteça, no caso rompimentos.

No gráfico do Bitcoin apresentado abaixo, podemos notar uma tendência de baixa bem delimitada, preço segue fazendo topos e fundos descendentes. A linha diagonal preta marcou bem todas as regiões em que o preço tentou romper e falhou. Este é um caso clássico de tendência e a linha consegue nos orientar bem. Para uma mudança no padrão que vem se repetindo é necessário um rompimento desta linha, após isso acontecer podemos ver uma reversão desse movimento.

  • Linha de Canal

Poucos observam ou até mesmo desconhecem, quando o preço está caindo, a linha de canal é traçada abaixo e quando está subindo é traçada acima dos preços, unindo pelo menos 2 pontos onde houve rejeição para esperarmos um possível terceiro toque.

É um dos pontos mais fortes na análise gráfica, para romper esta região, o preço deve acelerar demais o movimento. A grande maioria das tentativas de rompimento falham e nas poucas vezes que rompe, procura um movimento mensurado rapidamente.

Podemos ter um exemplo prático unindo os dois pontos extremos abaixo do preço e observar a terceira tentativa de rompimento, notem que houve a tentativa e no exemplo abaixo veio a falha revertendo o movimento prévio.

  • Médias Móveis

Um dos indicadores mais conhecidos, tem a função de suporte/resistência dinâmico. O cálculo é baseado sobre o fechamento dos candles do período escolhido, exemplo:

Se estivermos analisando um gráfico diário e escolhermos a média de 20 períodos, o indicador plotará uma linha correspondente a média de preço dos últimos 20 dias. O interessante é usar períodos mais populares entre os investidores, pois acabam se tornando pontos de maior liquidez.

Observem no gráfico do Bitcoin, utilizamos um exemplo com a média de 20 períodos, após entrar em tendência, o preço respeitou esse indicador retomando a força nas regiões em que a média está plotada, servindo como região de suporte.

Com todas as informações publicadas nesta postagem já é possível observar um gráfico e encontrar pontos mais interessantes para fazer aportes no caso de investidores de médio e longo prazo. Para operadores de curto prazo também é possível encontrar informações relevantes, o ideal é unir a técnica com a gestão de risco assim encontrando uma forma de atuar que ofereça mais confiança.

    Fique Atualizado

    Para entrar na lista de transmissão exclusiva, acessar as oportunidades de investimento e acompanhar dia a dia a transformação do mercado cripto basta enviar um whatsapp para +5511913758000 com a palavra ENTRAR!

    UNIERA CRYPTO VENTURES LTDA - CNPJ 42.131.910/0001-53
    Rua Engenheiro Edgar Egidio de Souza 510 - Pacaembú, São Paulo - SP 01233-020